domingo, 8 de novembro de 2015

Ser forte é

Ser forte é…
É ver a pessoa amada com outra e rir com os
olhos cheios de lágrimas.
É amar alguém em silêncio.
É deixar-se amar por alguém que não se ama.
É consolar quando se precisa ser consolado.
É saber esperar quando não se acredita mais no
retorno.
É elogiar quando se tem vontade de maldizer.
É manter-se calmo mesmo no desespero.
É fazer alguém feliz mesmo com o coração em
pedaços.
É ter fé naquilo que é difícil de acreditar.
É tentar perdoar alguém que não merece perdão.
Ser forte é, enfim, viver quando já se sente estar
morto.
Por isso, por mais difícil que seja a vida: ame-a,
seja forte!

Autor desconhecido. 

sábado, 7 de novembro de 2015

O que é namorar uma pessoa com deficiencia fisica?

O que é namorar uma pessoa com deficiencia fisica?
Namorar uma pessoa com deficiencia fisica é:
Compreender que apesar de estarem juntos, cada um tem a sua vida e que ambos possuem rotinas diferentes e que um deve se adaptar a rotina do outro.
É ter ciência de todas as dificuldades e barreiras que irão encontrar, e que apesar disso, a vontade e o desejo de estarem juntos só aumenta a cada dia. 
É estar em um lugar público, encarar olhares e comentários que podem ser positivos ou negativos e responder esses comentários e olhares com um beijo apaixonado.
É saber que uma pessoa com deficiencia fisica pode te devolver todo carinho que você dá a ela, tudo em dobro, pois só ela sabe o quanto já sofreu por muitas vezes estar sozinha e o quanto necessitou do carinho de alguém, mas que apesar de tudo, sabe que o preconceito ainda existe.
É entender que todas as pessoas tem as suas necessidades e seus limites e que ela não precisa de sentimento de pena mas sim que ela precisa dar e receber amor.
É testar os limites da compreensão, pois sempre haverão situações em que sempre será mais dificil para um do que para o outro.
É os dois lutarem e brigarem juntos por quererem ter um momento a dois em um determinado local, mas não podem pois alguma falta de acessibilidade impede.
É conhecer a deficiencia fisica do seu parceiro (a) e conversar com ele (a) sobre suas limitações e acharem soluções para que essas limitações sejam amenizadas ou até abolidas da relação.
É ter alguém que sabe lidar com as dificuldades e saber que mesmo em dias que você queira terminar a relação por algum motivo, vai ter alguém que vai jogar as cartas na mesa, te mostrar todas as possibilidades e que vai fazer você voltar atrás, pois esta pessoa quer ser amada intensamente e não abrirá mão de você e te dará o valor que talvez ela não tenha recebido de ninguém.
Namorar uma pessoa com deficiencia fisica é mágico, vai além de uma atração, além de corpos perfeitos, vai além do tesão.
O termo "especial" não se dá pela deficiencia em si, mas sim pelo que essa pessoa já passou na sua vida. Tudo que ela aprendeu, por todas as situações dificeis que ela já passou e pela força que ela pode passar para o outro (a) e pela sabedoria que ela terá para encontrar soluções em momentos dificeis e pela compreensão que ela tem sobre essas situações.
Então, agora eu pergunto. Você não quer alguém assim do seu lado? Não quer uma relação que vá muito além do tesão e de uma atração?
Pois bem... Tomare que você encontre um dia alguém assim, e lhe dê a oportunidade de mostrar tudo isso.
Mas existe uma regra que faz toda diferença: Você também tem que ser especial, para merecer alguém especial... 

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Quem mantém as suas janelas fechadas por temer as tempestades, desperdiça a chance de assistir ao nascer do sol...

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Meu nome e Robert

Meu nome e Robert sou da cidade de Divinópolis tenho 19 anos hoje sou casado com uma mulher maravilhosa guerreira linda e tenho dois filhos lindos maravilhosos minha história começou exatamente aos 6anos de idade a época em que minha mãe largou meu pai poxa minha mãe bebia pra caramba  vice lembro como se fosse hoje o primeiro crime q cometi com seis anos de idade eu mas meu irmão demos a primeira pedrada e a primeira paulada no carro do concelho tutelar vice de lá até meus sete anos eu e o meu irmão aprontávamos de mais com sete anos me separaram da minha mãe ninguém queria deixa eu ver ela mas meu pai começou a judiar de mim e dos meus irmãos meu pai deixava a minha madrasta bater na gente poxa com 8 anos já me obrigavam juntamente aos meus irmãos a capina levanta seis da manhã naquele frio pra varrer terreiro ou busca pão enquanto os dois ficavam deitados de pernas pro ar mas isso é só um resumo o resto já dá pra imaginar e isto meus amigos foi gerando uma revolta enorme dentro do meu coração q ia aumentando cada dia mas e assim foi se passando os dias foi passando meses foi passando anos e eu já Ta acostumado com o sofrimento mas o que me revoltava cada dia mas era estar longe da minha mãe era ver meus irmãos sofrerem na mão de meu pai e da madrasta o q me revoltava era eu vender picolé debaixo de sol quente busca esterco fazer bicos pra ajuda meu pai e quando eu chegava em casa minha madrasta pegava Tudo pra compra as coisa pra ela é a filha dela e eu no ganhar 50centavos pra levar pra escola mas eu era paciente eu jogava com a mente pó foi aí q comecei a conhecer o crime vice olha q doidera galera com dez anos de idade o irmão da minha madrasta me batia de corda corrente fio pra min poder ir busca vaca cabrito cavalo pra ele no pasto e o cara q chamo de pai n fazia nada fraga porra com onze anos eu ficava sozinho com um Noia em uma casa vendendo crack a noite inteira para n ganhar Nada e se eu cochilasse era só tapa na cara diferente e no outro dia tinha q trabalha e estudar sem reclama porra isso n e história de filme MT menos novela a minha história e real pessoal porra já fazia 6 anos longe da minha mãe q saudade e assim foi passando o tempo vivendo e aprendendo mas fui ficando mas esperto eu ia vender picolé e visitava minha mãe escondido quando meu pai descobria ele e minha Madrasta me batia era de fio cabo de vassoura vara de marmelo me deixava de olho Roxo de castigo na tampinha de cerveja na pedra as marca Ta no meu corpo pra quem ñ acredita porra mas isso pra mim não era nada nem jorava mas nem doía só observava minha mãe e meus irmãos era mas importante uma vez minha madrasta abriu minha cabeça com uma cacetada e me desmaiou com uma paulada na nuca e mesmo assim me levantei fui forte mas me levantei com a maldade no olha na mente faltava pouco pra mim estoura um dia ela e meu pai dormindo pensei em matá-los só estava eu e eles em casa e a filha deles eu peguei duas facas um facão e um pedaço de ferro e fui fechei a porta do quarto mas a hora q fui matá-los porra gelei Deus me tocou e não deixou que eu fizesse aquilo Por que aquele não era eu ia esquarteja-los depois mete fogo mas Deus no meu coração foi mas forte e desiste q porra sai do quarto dispensei Tudo sem ninguém vê eu já tinha 14 anos e continuava no sofrimento um belo dia cheguei da escola com nota baixa porra meu pai nem estava em casa minha madrasta me bateu me machucou e ainda apontou a faca pra mim nesse dia ela se deu mau meti um murro no meio dos peitos dela comecei a esmurra a cara dela e coloquei a faca na garganta dela mas mais uma vez deus não deixou eu mata lá peguei sai correndo e fugi pra casa da minha mãe e minha mãe me levou na delegacia pegou minha guarda e agente começou a mora juntos mas a saudades q tinha dos meus irmãos foi apertando eu só os via na rua e pra segurança deles eu nem chegava perto porra já na revolta eu e minha mãe começou a briga direto ela tinha parado De beber e volto foi pra se afoga na pinga e assim foi dois anos ela saia pó eu dormia na sala na expectativa dela voltar e ia se passando um dois três dias uma semana depois ela voltava tonta e passando mal e eu cuidava dela levava ela pro hospital pra depois ela fazer Tudo de novo e eu com 16 anos já eu lembro da minha última briga com ela por causa da bebida 4 dias antes do natal e do aniversário dela tivemos uma briga horrível e ela saiu tonta e foi pra casa do amante dela porra 4 dias depois chega a polícia lá em casa falando que ela faleceu fiquei com o coração partido porra sozinho no mundo ninguém ligava pra mim porra 5 mês depois fui pra outra cidade com um parceiro meu aí nos começou a entra no crime de verdade eu e ele viramos patrão de uma cidade de mais ou menos 15 mil pessoas aí bom até então eu no fumava no cheirava nem bebia só vendia cocaína e crack até então  um dia antes de deus coloca a mãe do meu filho na via vida porra o diabo acabou com minha vida fumei meu Primero back viciei bebi cheirei  desandei porra no outro dia conheci minha mulher fraga conheci a família dela com quase 17 anos engravidei minha mulher fui expulso da cidade perdi dinheiro perdi tudo só não perdi a mulher q deus me concebeu voltei pra a minha cidade natal duro com uma mulher grávida não arrumava serviço foi aí pessoal que com a cabeça quente eu entrei no crime de verdade comecei a cola com os cara comecei a vender a cheira beber vendia drogas a noite inteira tinha arma de todo tipo roubava mercado loteria e as polícia na porta da minha casa 10 11 meia noite sete da manhã invadindo a milita na cola a civil a federal tirando foto e minha mulher do lado chorando implorando rezando de joelhos pedindo pra eu sair e ela lá batalhando guerreira e eu ganhando dinheiro me achava mas homem q qualquer um tinha arma moto dinheiro fui preso e a mulher do lado chorando pedindo que eu saísse e tinha dia que era três da manhã eu estava la com os parceiro cheirando  bebendo com arma na cintura a mulher lá no quarto chorando grávida como não faltava nada dentro de casa não estava nem aí foi aí que deus pois a mão fiquei 5 dias presos e naquela angústia comecei a reza pra sai pegando com Deus fiz promessa porra Deus me tirou a primeira coisa que fiz foi fuma maconha nem agradeci a ele é nessa noite ele me deu um Aviso que nem tinha levada a sério pó fumei jantei e loucão sozinho deitei na cama e liguei a TV pó estava passando culto e através da televisão Deus falou comigo as seguintes palavras lembro como se fosse hoje.....
Havia um rapaz que não acreditava em Deus rezava fazia promessa e nunca cumpria então eu o deixei numa cama numa cadeira de rodas por 40 anos depois q ele passou a acredita em mim eu o curei aquelas palavras eram pra mim eu senti me tocou mas eu desliguei a TV nem dei ideia a passou uma semana eu aprontando minha mulher rezando implorando pra quê eu saísse e eu nem escutava nem dava ideia na semana seguinte no sábado aconteceu eu imaginava Tudo menos leva um tiro pó foi sábado eu nem lembrava mas estava fazendo um ano de namoro faltava 2 més pro meu filho nascer eu fiz um burrada eu ameacei um traficante rival e dei as costa pra ele é eu lá dentro do bar curtindo racionais a música Jesus chorou loucão de raio cerveja 15min depois o cara voltou e descarregou 6 tiros os anjos de deus foram desviando com a mão eu tomei o primeira comecei a corre mas no segundo n deu tomei no meio das costa já cai paraplégico e a primeira coisa no chão q pensei foi deus n me deixa morre tenho esposa e filho por favo deixe eu pelo menos conhecer meu filho e deus me ouviu depois de 15 min no chão fui socorrido fiquei 15 dias no João 23 recuperei e hoje com 19 anos numa cadeira de rodas abandonei o crime cuido do meu filho da minha esposa sou feliz como nunca fui tenho uma casa imobilizada e acredito q deus tem uma obra um chamado grande em minha vida por hoje e isto gente esse  é meu testemunho meu nome e Robert e eu sou um milagre vivo boa noite... 


História De Cleide Jaciara...

Aos 3 meses, tive uma febre muito forte e começaram umas manchas no meu corpo...Naquela época não existia nenhum tipo de informação...então minha mãe me levou à farmácia onde me aplicaram uma injeção no braço direito... Bom, naquela época, os bebés não mexiam iguais aos de hoje....foi então que aos 6 meses minha família percebeu que eu não me mexia nada...me levaram a um pediatra que diagnosticou poliomielite, pois a injeção havia atingido meu nervo, paralisando assim meus membros superiores e inferiores...Por ficar muito tempo deitada, tenho uma escaliose nível 5...fui diversas vezes à Santa Casa de Misericórdia em SP para ver se haveria a possibilidade de fazer a cirurgia para correção da escaliose, porque os médicos haviam dito para minha família que eu não sobreviveria depois dos 14 anos, porque meus órgãos iriam comprimir um ao outro e eu não resistiria...nessa época eu tinha 7 anos...e foram umas 6 viagens de Uberlandia à SP...na última viagem ao hospital, a junta médica chamou meus pais e falou para eles que eu não sobreviveria a cirurgia, pois iria abrir minha caixa toraxica na frente e atrás e com isso, eu perderia muito sangue, precisando então de mais ou menos umas 30 bolsas para transplante... Foi quando meus pais entraram no quarto que eu estava e me contaram o que os médicos haviam falado e que iria deixar na minha mão, se eu queria ou não... Foi então, com meus olhos cheios de lágrimas que eu olhei para eles e disse que eu não queria operar, porque eu sobrevivi até os meus 7 anos daquela forma, eu iria sobreviver até quando Deus quiser... Hoje estou aqui, completei meus 40 anos dia 28 de outubro graças à Deus e pela graça Dele estou aqui...

Esta é um pouquinho da minha história pra vocês...

Pesquisar este blog